<HTML><HEAD><TITLE>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</TITLE><link rel=STYLESHEET type=text/css href=css.css></HEAD><BODY aLink=#ff0000 bgColor=#FFFFFF leftMargin=0 link=#000000 text=#000000 topMargin=0 vLink=#000000 marginheight=0 marginwidth=0><table align=center width=700 cellpadding=0 cellspacing=0><tr><td align=left bgcolor=#cccccc valign=top width=550><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=3><font size=1>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</font></font></strong><font face=Verdana size=1><b><br></b></font><font face=Verdana, Arial,Helvetica, sans-serif size=1><strong> </strong></font></font></td><td align=right bgcolor=#cccccc valign=top width=150><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=1><font size=1>Resumo:1167-1</font></em></font></strong></font></td></tr><tr><td colspan=2><br><br><table align=center width=700><tr><td><b>Poster (Painel)</b><br><table width="100%"><tr><td width="60">1167-1</td><td><b>Visitas Domiciliares Multiprofissionais: um caminho para a Integralidade.</b></td></tr><tr><td valign=top>Autores:</td><td><u>Gaussianne de Oliveira Campelo </u> (RMSF/UESPI - Residncia Multiprofissional em Sade da Famlia e Comunidad) ; Suelen Gomes (RMSF/UESPI - Residncia Multiprofissional em Sade da Famlia e Comunidad) ; Vandoval Veloso (RMSF/UESPI - Residncia Multiprofissional em Sade da Famlia e Comunidad) </td></tr></table><p align=justify><b><font size=2>Resumo</font></b><p align=justify class=tres><font size=2>Trata-se de um relato de experincia da Residncia Multiprofissional em Sade da Famlia e Comunidade da Universidade Estadual do Piau (RMSFC/UESPI), na qual os residentes, na perspectiva de abranger os aspectos individual e familiar, alm do coletivo, presentes na proposta prtica da RMSFC/UESPI, realizaramm visitas domiciliares, previamente agendadas com as Equipes de Sade da Famlia, visando uma ampliao do olhar sobre o sujeito e suas necessidades de sade, bem como sobre o meio familiar e social em que ele est inserido. Sabe-se que a visita domiciliar um contato pontual de profissionais de sade com as populaes de risco, enfermos e seus familiares para a coleta de informaes e/ou orientaes. Na visita domiciliar so desenvolvidas aes de orientao, educao, levantamento de possveis solues de sade, fornecimento de subsdios educativos, para que os indivduos atendidos tenham condies de se tornar independentes. As orientaes realizadas dizem respeito a saneamento bsico, cuidados com a sade, uso de medicamentos, amamentao, controle de peso, ou qualquer coisa que diga respeito quele indivduo, famlia e comunidade em que vivem (LACERDA et al. 2006). Para Omizzolo e Wosny (2006) a visita domiciliar deve ser entendida e desenvolvida como uma prtica emancipadora, que proporciona aos profissionais um importante espao para o exerccio do dilogo e permite uma proximidade para o acompanhamento, conhecimento e reconhecimento das famlias em suas necessidades de sade, perpassando nessa perspectiva, pelo olhar da <i>Integralidade</i>. Sendo esta ao um importante instrumento para a promoo da sade e implementao do princpio da integralidade, enquanto prtica que valoriza o cuidado, e para o fortalecimento do trabalho coletivo verdadeiro. Com esse intuito, no perodo de setembro a novembro de 2009, os residentes se envolveram na prtica das visitas domicialires nos seus territrios de atuao. Nessas ocasies, estiveram presentes 3 ou 4 residentes de categorias profissionais distintas. Assim, cada um acrescentou o olhar pertinente sua profisso e o cidado recebeu uma assistncia bem mais voltada para sua necessidade de sade e no apenas com enfoque em um quadro patolgico ou deficitrio. Em geral, participaram o fisioterapeuta, o assistente social, o psiclogo e o educador fsico. No entendimento dos agravos e necessidades, os saberes se somaram e pde-se trabalhar tendo em vista a Integralidade. </font></p><br><b>Palavras-chave: </b>&nbsp;Equipes multiprofissionais, Integralidade, Visitas domiciliares</td></tr></table></tr></td></table></body></html>