<HTML><HEAD><TITLE>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</TITLE><link rel=STYLESHEET type=text/css href=css.css></HEAD><BODY aLink=#ff0000 bgColor=#FFFFFF leftMargin=0 link=#000000 text=#000000 topMargin=0 vLink=#000000 marginheight=0 marginwidth=0><table align=center width=700 cellpadding=0 cellspacing=0><tr><td align=left bgcolor=#cccccc valign=top width=550><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=3><font size=1>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</font></font></strong><font face=Verdana size=1><b><br></b></font><font face=Verdana, Arial,Helvetica, sans-serif size=1><strong> </strong></font></font></td><td align=right bgcolor=#cccccc valign=top width=150><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=1><font size=1>Resumo:1101-2</font></em></font></strong></font></td></tr><tr><td colspan=2><br><br><table align=center width=700><tr><td><b></b><br><table width="100%"><tr><td width="60">1101-2</td><td><b>A Retomada do ncleo CEBES-Campinas</b></td></tr><tr><td valign=top>Autores:</td><td><u>Thais Mikie de Carvalho Otanari </u> (CEBES CAMPINAS - Centro Brasileiro de Estudos em Sade - ncleo Campinas) ; Tnia Duque Lopes (CEBES CAMPINAS - Centro Brasileiro de Estudos em Sade - ncleo Campinas) ; Franciso Mogadouro da Cunha (CEBES CAMPINAS - Centro Brasileiro de Estudos em Sade - ncleo Campinas) ; Bruno Mariani Azevedo (CEBES CAMPINAS - Centro Brasileiro de Estudos em Sade - ncleo Campinas) ; Bia Urbano (CEBES CAMPINAS - Centro Brasileiro de Estudos em Sade - ncleo Campinas) ; Marcia Molina (CEBES CAMPINAS - Centro Brasileiro de Estudos em Sade - ncleo Campinas) ; Nilton Junior (CEBES CAMPINAS - Centro Brasileiro de Estudos em Sade - ncleo Campinas) ; Luciana Guimares Nunes de Paula (CEBES CAMPINAS - Centro Brasileiro de Estudos em Sade - ncleo Campinas) ; Fernando Maia (CEBES CAMPINAS - Centro Brasileiro de Estudos em Sade - ncleo Campinas) ; Felipe Cardoso (CEBES CAMPINAS - Centro Brasileiro de Estudos em Sade - ncleo Campinas) </td></tr></table><p align=justify><b><font size=2>Resumo</font></b><p align=justify class=tres><font size=2>A regio de Campinas tem um importante histrico de protagonismo nas polticas pblicas de sade,reunindo inmeros militantes em defesa do SUS,presentes na rede de servios,nas universidades,no controle social e nos espaos de gesto.A partir desse cenrio,e tendo em vista o forte retrocesso que a rede de sade vem sofrendo,inclusive com a desarticulao de espaos de militncia;surgiu a necessidade de um espao que possibilitasse discusses,aglutinando os vrios atores de forma a criar estratgias de ao em defesa do SUS Campinas. Em junho de 2009,um grupo de pessoas se reuniu para discutir a possibilidade de retomada do ncleo CEBES e disparou,pela internet,uma carta de intenes convidando as pessoas para uma reunio.Nessa reunio,cerca de 40 pessoas aclamaram a retomada do ncleo,pactuando que o CEBES se organizaria em reunies abertas,construindo,assim,um novo espao de luta no municpio. Desde ento,as reunies acontecem todos os meses tendo como temas os maiores entraves para o SUS Campinas: Modelos de Gesto,Precarizao da rede Ateno Bsica (AB),Sade Mental,etc.O pblico,que varia entre 40 e 100 pessoas,conta com trabalhadores,estudantes,docentes,alguns gestores e usurios. Paralelamente,o ncleo duro do CEBES,constitudo por cerca de 15 pessoas,desenvolve diferentes intervenes na rede.Promove debates locais nos equipamentos e Conselhos Locais de sade,alm de eventos acadmicos e polticos;elabora e dispara textos construdos a partir dos debates ampliados;participa regularmente das reunies do CMS;alm de manter-se em dilogo constante com o movimento do CEBES nacional e outros ncleos. Hoje,o CEBES vem se legitimando enquanto espao de articulao em defesa do SUS,se conformando como referncia no cenrio municipal em contraponto s polticas vigentes.Consitui-se enquanto movimento formador e aglutinador,tendo sua legitimidade reconhecida,inclusive,pela gesto, sendo convidado a participar,enquanto movimento social,da organizao de eventos como as Conferncias de Sade e Sade Mental.Mantm-se em relao com parceiros como o MOPS,entidades do movimento estudantil,sindicatos e movimentos sociais,alm dos prprios servios de sade.Sua ateno tem se pautado por pontos consensuais entre seus militantes,como:universalidade,integralidade,eqidade,AB enquanto eixo estruturante,a favor da integrao da rede,reconhecimento do setor privado enquanto prejudicial ao SUS,reconhecimento da necessidade de maior financiamento para o setor sade.</font></p><br><b>Palavras-chave: </b>&nbsp;CEBES, Movimentos sociais</td></tr></table></tr></td></table></body></html>