<HTML><HEAD><TITLE>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</TITLE><link rel=STYLESHEET type=text/css href=css.css></HEAD><BODY aLink=#ff0000 bgColor=#FFFFFF leftMargin=0 link=#000000 text=#000000 topMargin=0 vLink=#000000 marginheight=0 marginwidth=0><table align=center width=700 cellpadding=0 cellspacing=0><tr><td align=left bgcolor=#cccccc valign=top width=550><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=3><font size=1>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</font></font></strong><font face=Verdana size=1><b><br></b></font><font face=Verdana, Arial,Helvetica, sans-serif size=1><strong> </strong></font></font></td><td align=right bgcolor=#cccccc valign=top width=150><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=1><font size=1>Resumo:1056-2</font></em></font></strong></font></td></tr><tr><td colspan=2><br><br><table align=center width=700><tr><td><b>Poster (Painel)</b><br><table width="100%"><tr><td width="60">1056-2</td><td><b>EDUCAO ALIMENTAR E EM SADE: RODA DE CHIMARRO COMO ESTRATGIA DE ENTRADA EM UMA COMUNIDADE DOMINADA PELO TRAFICO EM PORTO ALEGRE, RS BRASIL </b></td></tr><tr><td valign=top>Autores:</td><td><u>Adriana Machado Maestri Carvalho </u> (UFRGS - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SULUFRGS - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SULUFRGS - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL) ; Maurem Ramos (UFRGS - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SULUFRGS - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL) ; Sabrina Lentz (UFRGS - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SULUFRGS - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SULUFRGS - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL) ; Ana Paula Jasper (UFRGS - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SULUFRGS - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SULUFRGS - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SULUFRGS - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL) ; Veralice Gonalves (UFRGS - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SULUFRGS - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SULUFRGS - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SULUFRGS - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL) </td></tr></table><p align=justify><b><font size=2>Resumo</font></b><p align=justify class=tres><font size=2>O trabalho do profissional de sade que atua em comunidades carentes freqentemente se depara com limitaes inerentes ao trafico de drogas e conseqentemente a violncia. Desta forma, aes que demandam a necessidade de atividades diretamente no territrio, como educao alimentar e de sade, podem ser conflituosas. A busca por vinculo com a comunidade torna-se imprescindvel encontrando no ACS um forte aliado. Buscar descrever uma experincia de trabalho de educao alimentar e de sade realizada em uma comunidade carente de Porto Alegre. Frente a necessidades de sade apontadas como prioritrias pela ESF como: baixa adeso a campanhas de vacinao, atraso no calendrio de vacinas, crianas baixo peso, gestante adolescente, trafico de drogas. Aps um primeiro diagnstico as mulheres foram eleitas como foco de entrada para atuao da equipe no territrio. A estes encontros chamamos de  RODA de Chimarro , onde na oportunidade as moradoras falavam informalmente sobre assuntos referentes as suas percepes em relao a equipe, ao trabalhos realizado e as suas necessidades de sade. A equipe participante, basicamente composta por enfermeira, nutricionista, estagirias de nutrio (UFRGS) e ACS. Foram coletados dados antropomtricos dos participantes do grupo e realizadas orientaes nutricionais e de sade que se fizeram necessrias. Observamos um maior envolvimento dos participantes com as questes relacionadas a sade e a alimentao. Por iniciativa das participantes os lanches(guloseimas) foram substitudos por frutas e sucos naturais da estao, debatidos as vantagens fsicas, financeiras e solicitado material educativo sobre o tema. Assuntos como gestao na adolescncia e sade da mulher passaram a ser debatidos por sugestes do prprio grupo. O espao mostrou rico para a formao acadmica das alunas de nutrio. O Local da atividade inicialmente no meio de uma ruela, passou a ser realizado na casa de uma das participantes, o que demonstrou um grau de confiana a ser considerado. O trabalho iniciado pelo nutricionista e a ACS, com o apoio da enfermagem e estagirios de nutrio chegou a ter a participao de outros profissionais da equipe, sendo considerado um sucesso. Contudo, com a sada da nutricionista, da equipe a atividade foi interrompida. Mesmo sendo um fato isolado, demonstra dificuldades da equipe em manter um trabalho de promoo da sade. Sugere-se que outros estudos sejam realizados para verificar se esta uma realidade. </font></p><br><b>Palavras-chave: </b>&nbsp;Promoo da Sade, rea Risco, Educao Alimentar</td></tr></table></tr></td></table></body></html>