<HTML><HEAD><TITLE>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</TITLE><link rel=STYLESHEET type=text/css href=css.css></HEAD><BODY aLink=#ff0000 bgColor=#FFFFFF leftMargin=0 link=#000000 text=#000000 topMargin=0 vLink=#000000 marginheight=0 marginwidth=0><table align=center width=700 cellpadding=0 cellspacing=0><tr><td align=left bgcolor=#cccccc valign=top width=550><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=3><font size=1>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</font></font></strong><font face=Verdana size=1><b><br></b></font><font face=Verdana, Arial,Helvetica, sans-serif size=1><strong> </strong></font></font></td><td align=right bgcolor=#cccccc valign=top width=150><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=1><font size=1>Resumo:998-1</font></em></font></strong></font></td></tr><tr><td colspan=2><br><br><table align=center width=700><tr><td><b>Poster (Painel)</b><br><table width="100%"><tr><td width="60">998-1</td><td><b>Experincia da puericultura domiciliar em uma unidade de sade de Londrina, PR.</b></td></tr><tr><td valign=top>Autores:</td><td><u>Mayra Moreira Sorrilha </u> (UEL - Universidade Estadual de Londrina) ; Soraya Geha Gonalves (UEL - Universidade Estadual de Londrina) ; Celina Hokama (UEL - Universidade Estadual de Londrina) ; Josiane Vivian Camargo de Lima (UEL - Universidade Estadual de Londrina) </td></tr></table><p align=justify><b><font size=2>Resumo</font></b><p align=justify class=tres><font size=2>A puericultura tem como objetivo o acompanhamento da criana, visando o desenvolvimento fsico e mental nos primeiros anos de vida. Busca diminuir a taxa de mortalidade infantil com a preveno do desmame precoce, vacinao, identificao de alteraes no desenvolvimento e orientao do cuidado. Para orientar o acompanhamento criana, a rede de ateno bsica sade em Londrina possui um protocolo clnico, o qual intercala o atendimento entre equipe de enfermagem e pediatra. nesta tica que a Unidade Bsica de Sade (UBS) do Lindia Londrina/PR organiza a puericultura. Porm, constatou-se que o incio da puericultura estava sendo realizado no tempo adequado. De acordo com o fluxo da unidade, a gestante era instruda a procurara a unidade logo aps o parto para agendar a primeira puericultura que seria realizada na unidade. Mas a experincia mostrou que a chegada da criana trazia com ela muitas mudanas na rotina familiar, isso, somado ao desgaste do parto fazia com que a procura da UBS ficasse em segundo plano. Esta situao foi apontada como problema pela Equipe de Sade da Famlia (EFS), que props que o primeiro atendimento criana seria domiciliar. A nova lgica de atendimento iniciou-se desde acompanhamento s gestantes durante o pr-natal, quando a equipe tinha conhecimento da data provvel do parto. De posse desta informao as Agentes Comunitrias de Sade (ACS) priorizaram o acompanhamento s gestantes que estavam mais prximas do parto. Cada ACS era responsvel por comunicar a equipe o quanto antes do nascimento de uma nova criana em sua rea. Com essa informao, enfermeira e ACS realizavam a primeira puericultura em visita domiciliar. A equipe se organizou de forma a atender as necessidades do binmio me filho, priorizando os com maior vulnerabilidade. Observamos que a puericultura domiciliar, alm de garantir o cuidado j realizado na unidade, ampliou este, com orientaes que s se foram possveis pela presena da equipe na casa da famlia. Com esse trabalho a ESF conseguiu iniciar a puericultura antes dos primeiros 15 dias de vida da criana, identificando riscos e vulnerabilidades, de modo que as prximas puericulturas fossem agendadas na unidade, porm, com cuidado singular s necessidades das mes e crianas.</font></p><br><b>Palavras-chave: </b>&nbsp;Ateno Primria Sade, cuidado, criana</td></tr></table></tr></td></table></body></html>