<HTML><HEAD><TITLE>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</TITLE><link rel=STYLESHEET type=text/css href=css.css></HEAD><BODY aLink=#ff0000 bgColor=#FFFFFF leftMargin=0 link=#000000 text=#000000 topMargin=0 vLink=#000000 marginheight=0 marginwidth=0><table align=center width=700 cellpadding=0 cellspacing=0><tr><td align=left bgcolor=#cccccc valign=top width=550><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=3><font size=1>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</font></font></strong><font face=Verdana size=1><b><br></b></font><font face=Verdana, Arial,Helvetica, sans-serif size=1><strong> </strong></font></font></td><td align=right bgcolor=#cccccc valign=top width=150><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=1><font size=1>Resumo:847-3</font></em></font></strong></font></td></tr><tr><td colspan=2><br><br><table align=center width=700><tr><td><b>Poster (Painel)</b><br><table width="100%"><tr><td width="60">847-3</td><td><b>OS DESAFIOS DA IMPLEMENTAO DO SERVIO DE ENGENHARIA, SEGURANA E MEDICINA DO TRABALHO( SESMT ) DE UM HOSPITAL PBLICO DE ENSINO SOB O OLHAR DO ENFERMEIRO.</b></td></tr><tr><td valign=top>Autores:</td><td><u>Maria do Rosrio Santos </u> (HC/UFMG - Hospital das Clnicas da UFMG) </td></tr></table><p align=justify><b><font size=2>Resumo</font></b><p align=justify class=tres><font size=2> A criao do SESMT do Hospital das Clnicas da Universidade Federal de Minas Gerais (HC/ UFMG) se deu pela necessidade de adequao a RENAST em virtude da multiplicidade de vnculos dos seus trabalhadores.Criado em agosto de 2008 tem por objetivo o planejamento, a implantao e o desenvolvimento de aes de vigilncia, preveno e promoo da sade dos trabalhadores do HC e est vinculado Vice-diretoria de Recursos Humanos.Atualmente est constitudo : 01 mdico e 02 enfermeiros especialista em sade do trabalhador, 01engenheiro de segurana e 03 tcnicos de segurana do trabalho. O trabalho realizado em parceria com os vrios servios j existentes no mbito do HC como: Servio de Sade do Trabalhador, Centro de Referncia Estadual em Sade do Trabalhador, Ncleo de Vigilncia Epidemiolgica, Diretoria Tcnica de Enfermagem,Gesto de Qualidade, Unidade Multiprofissional entre outros; numa busca contnua de melhores condies de trabalho e cidadania dos trabalhadores na rede SUS. Nestes 2 anos de implantao j foram feitos: a estruturao fsica da sala do servio de enfermagem, planejamento estratgico e implantao do programa de imunizao para os trabalhadores como determina a NR32, a criao de um grupo de apio de combate ao vcio de tabagismo, inspees e mapeamento dos riscos nos diversos ambientes de trabalho com propostas de interveno para a direo e gerentes. Verifica-se que na prtica temos trs grandes desafios: trabalhar com uma equipe mnima, com baixos recursos financeiros e fazer a integrao entre os diversos setores numa instituio de ensino que presta assistncia de alta complexidade pelo SUS. Um outro desafio trabalhar numa perspectiva de uma prtica efetivamente interdisciplinar, priorizando a ateno integral dos trabalhadores nos diversos processos e ambiente de trabalho que comum tanto aos trabalhadores estatutrios, quanto aos celetistas. O terceiro e talvez o mais difcil construir uma cultura de sujeitos autnomos, onde os trabalhadores assumam como protagonistas do seu cotidiano, seja na gesto do trabalho ou como co- autores da sua sade ou da sua doena. Acreditamos que o SESMT/HC alm de sua importncia para ateno sade dos trabalhadores, pode se tornar um campo privilegiado de atuao, aperfeioamento, formao de Recursos Humanos e pesquisa em Sade do Trabalhador na rede SUS </font></p><br><b>Palavras-chave: </b>&nbsp; Gesto do trabalho, Promoo da sade, Trabalho interdisciplinar e Cidadania</td></tr></table></tr></td></table></body></html>