<HTML><HEAD><TITLE>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</TITLE><link rel=STYLESHEET type=text/css href=css.css></HEAD><BODY aLink=#ff0000 bgColor=#FFFFFF leftMargin=0 link=#000000 text=#000000 topMargin=0 vLink=#000000 marginheight=0 marginwidth=0><table align=center width=700 cellpadding=0 cellspacing=0><tr><td align=left bgcolor=#cccccc valign=top width=550><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=3><font size=1>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</font></font></strong><font face=Verdana size=1><b><br></b></font><font face=Verdana, Arial,Helvetica, sans-serif size=1><strong> </strong></font></font></td><td align=right bgcolor=#cccccc valign=top width=150><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=1><font size=1>Resumo:847-2</font></em></font></strong></font></td></tr><tr><td colspan=2><br><br><table align=center width=700><tr><td><b>Poster (Painel)</b><br><table width="100%"><tr><td width="60">847-2</td><td><b>O ABSENTESMO MDICO DOS TRABALHADORES DE ENFERMAGEM DE UM HOSPITAL PBLICO FEDERAL DE ENSINO.</b></td></tr><tr><td valign=top>Autores:</td><td><u>Maria do Rosrio Santos </u> (HC/UFMG - Hospital das clnicas da UFMG) ; Maria do Rosrio Santos (HC/UFMG - Hospital das clnicas da UFMG) ; Elizabeth Costa Dias (FM/UFMG - Faculdade de Medicina da UFMG) ; Geraldo Majela Garcia Primo (HC/UFMG - Hospital das clnicas da UFMG) </td></tr></table><p align=justify><b><font size=2>Resumo</font></b><p align=justify class=tres><font size=2> Trata-se de estudo em absentesmo mdico dos profissionais de enfermagem de um hospital pblico federal de ensino, referncia no atendimento de mdia e alta complexidade; demandando cuidados em nvel tercirios e quaternrios.O objetivo foi identificar os ndices de licenas por motivo de sade entre esses trabalhadores. Utilizou-se abordagem quantitativa dos afastamentos por licenas mdicas registradas no Servio de Sade do Trabalhador de 1 de janeiro a 31 de dezembro de 2006 e calculado o ndice de freqncia e a porcentagem de tempo perdido. A amostra foi composta por 1.219 servidores divididos nas trs categorias (enfermeiros, tcnicos e auxiliares). Destes, 14% eram do sexo masculino e 86% feminino. Quanto ao vnculo, 78,3% so estatutrio, 67,7% tm cargos de nvel mdio e 23,1% de nvel superior. 46,9% tm 40 anos ou mais e 37,5% trabalham na UFMG h 11 anos ou mais. Entre os 750 trabalhadores que se afastaram pelo menos uma vez por motivo de doena, a mediana de licenas foi igual a 2, mnimo 1 e no mximo de 21 licenas. A mediana do nmero de dias de licena por trabalhador afastado no perodo estudado foi de 8 dias, mnimo de 1 e mximo de 444 .As licenas de 1 a 5 dias (72,8%) somam 1.792 dias e 31 dias ou mais (31,2%) somaram 14.148. Em relao ao CID10, o grupo de Transtornos Mentais e Comportamentais o que tem maior soma de dias de afastamento 3.145. Em seguida as Doenas do Sistema Osteomuscular, 1.784 dias .Os locais com maior freqncia de licenas, foram os de clnica mdica e cirrgica (20,8%), urgncia (17,4%) e hospital dia (16,9%). Os locais que somam maiores nmeros de dias de licena so hospital dia (3.966) e urgncia (3.389), respectivamente. Os 1.219 trabalhadores tiveram 2.462 licenas, perfazendo um total de 19.417 dias de afastamento; uma mdia de 15,92 dias para cada trabalhador. Os resultados mostram que os ndices de absentesmo encontrados neste estudo foram maiores do que a maioria dos trabalhos realizados com profissionais de outros hospitais com caractersticas semelhantes. Por isso, acreditamos na necessidade de uma reflexo aprofundada no modelo tradicional de processo de trabalho que pode est levando ao absentesmo. Dessa forma, recomenda-se a necessidade de interveno e a interface com outras reas do conhecimento para adequao do ambiente e dos processos de trabalho.</font></p><br><b>Palavras-chave: </b>&nbsp;Absentesmo, Enfermagem no hospital, Sade dos trabalhadores</td></tr></table></tr></td></table></body></html>