<HTML><HEAD><TITLE>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</TITLE><link rel=STYLESHEET type=text/css href=css.css></HEAD><BODY aLink=#ff0000 bgColor=#FFFFFF leftMargin=0 link=#000000 text=#000000 topMargin=0 vLink=#000000 marginheight=0 marginwidth=0><table align=center width=700 cellpadding=0 cellspacing=0><tr><td align=left bgcolor=#cccccc valign=top width=550><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=3><font size=1>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</font></font></strong><font face=Verdana size=1><b><br></b></font><font face=Verdana, Arial,Helvetica, sans-serif size=1><strong> </strong></font></font></td><td align=right bgcolor=#cccccc valign=top width=150><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=1><font size=1>Resumo:689-1</font></em></font></strong></font></td></tr><tr><td colspan=2><br><br><table align=center width=700><tr><td><b>Poster (Painel)</b><br><table width="100%"><tr><td width="60">689-1</td><td><b>ACOLHIMENTO E CLASSIFICAO DE RISCO: AVALIAO DA IMPLANTAO DA ESTRATGIA NO MUNICPIO DE SO FRANCISCO DO CONDE  BA.</b></td></tr><tr><td valign=top>Autores:</td><td><u>Lidiane Tereza dos Santos E Santos </u> (PMSFC - Prefeitura Municipal de So Francisco do conde) </td></tr></table><p align=justify><b><font size=2>Resumo</font></b><p align=justify class=tres><font size=2>INTRODUO: O acolhimento pressupe a mudana da relao profissional / usurio e sua rede social atravs de parmetros tcnicos, humanitrios e de solidariedade, reconhecendo o usurio como participante ativo no processo de produo da sua sade. A emergncia vista como um local que tem como caractersticas o estresse, instabilidade das condies clnicas do paciente e a imprevisibilidade. Portanto, a implantao do acolhimento com avaliao e classificao de risco configura-se como uma das intervenes que melhor atende s necessidades deste setor, uma vez que possibilita a priorizao do atendimento dos casos mais graves, organizao do fluxo dos pacientes, promove maior acessibilidade e aumenta a resolutividade, garantindo a satisfao do usurio e da equipe de sade. OBJETIVO: Avaliar a estratgia de acolhimento e classificao de risco em uma unidade de emergncia, buscando-se identificar o perfil dos pacientes atendidos, a classificao de risco em que se encontravam e os encaminhamentos/condutas adotadas pela equipe. MTODOS: Trata-se de pesquisa descritivo-exploratria, com abordagem quantitativa. O objeto de estudo foram os atendimentos realizados na unidade de emergncia de um hospital localizado no estado da Bahia. Os dados foram coletados atravs de anlise dos pronturios. Para a anlise, os dados foram dispostos sob a forma de tabelas e grficos com distribuio das freqncias absolutas e relativas das variveis. RESULTADOS: Pode-se perceber atravs da anlise dos dados que a maioria dos usurios atendidos procurou a unidade de emergncia por motivos que poderiam ser resolvidos em unidades de outro nvel de complexidade, encontrando-se de acordo com a classificao de risco no nvel 2 e 3 de prioridade. Em relao aos encaminhamentos dos casos os pacientes classificados no nvel de prioridade 0, 1 e 2 foram atendidos na prpria unidade de emergncia, sendo referenciados para outra apenas os pacientes classificados no nvel 3. CONCLUSO: Observa-se que a implantao da estratgia de acolhimento e classificao de risco, trouxe para o servio de emergncia um novo modelo de ateno ao usurio, possibilitou um maior conhecimento do perfil dos atendimentos realizados, promoveu a reorganizao do servio adaptada demanda, alm disso, a implantao do acolhimento proporcionou a ampliao das possibilidades de interveno da equipe, resultando na melhoria da assistncia prestada na unidade.</font></p><br><b>Palavras-chave: </b>&nbsp;acolhimento, classificao de risco</td></tr></table></tr></td></table></body></html>