<HTML><HEAD><TITLE>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</TITLE><link rel=STYLESHEET type=text/css href=css.css></HEAD><BODY aLink=#ff0000 bgColor=#FFFFFF leftMargin=0 link=#000000 text=#000000 topMargin=0 vLink=#000000 marginheight=0 marginwidth=0><table align=center width=700 cellpadding=0 cellspacing=0><tr><td align=left bgcolor=#cccccc valign=top width=550><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=3><font size=1>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</font></font></strong><font face=Verdana size=1><b><br></b></font><font face=Verdana, Arial,Helvetica, sans-serif size=1><strong> </strong></font></font></td><td align=right bgcolor=#cccccc valign=top width=150><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=1><font size=1>Resumo:681-2</font></em></font></strong></font></td></tr><tr><td colspan=2><br><br><table align=center width=700><tr><td><b></b><br><table width="100%"><tr><td width="60">681-2</td><td><b>A BRASILIDADE DA SADE COLETIVA: inovao na formao de novos sujeitos profissionais</b></td></tr><tr><td valign=top>Autores:</td><td><u>Mariana Bertol Leal </u> (UERJ - Universidade do Estado do Rio de JaneiroSESAB - Secretaria de Sade do Estado da Bahia) </td></tr></table><p align=justify><b><font size=2>Resumo</font></b><p align=justify class=tres><font size=2>A cincia, que buscava explicar os fenmenos naturais, desenvolveu-se e desdobrou-se em diversas reas e campos, buscando responder s complexas questes que fazem parte do mundo moderno. A sade se coloca enquanto um desses campos complexos, que inicialmente compreendia a histria das doenas e das condies de vida e teve que ser questionada medida que somente essa teoria no mais justificava as complexas existncias e modos de andar a vida. Especificamente a Sade Coletiva no Brasil reinventou formas de responder aos inmeros e complexos questionamentos que se colocam no mbito da vida e das condies de vida. A partir do estudo, buscou-se explorar a trajetria histrico-poltica-conceitual da constituio do campo da Sade Coletiva no Brasil apoiado em uma metodologia que se utiliza de elementos analticos da prpria reflexo que o estudo traz, em um movimento de investigao denominado como  entre-meios . So apresentadas as falas dos participantes, abordando episdios e reflexes sobre os acontecimentos que marcaram a histria da Sade Coletiva em nosso pas, o que deu base para compor uma  caixa de ferramenta para o desenvolvimento do estudo. Os diferentes significados da Sade Coletiva foram apresentados a partir do material emprico, bem como de uma anlise considerando outros olhares sobre o mesmo objeto, pela qual se buscou construir um olhar autoral sobre o objeto estudado. Alm disso, aps a busca de conceitos e teorias sobre os campos, foram apresentadas diferentes abordagens para a conceituao de campo, sendo que a  caixa de ferramentas e as anlises dos significantes antes expostos foram utilizados para construir algumas consideraes e questes. Desenvolveu-se, atravs das bases de dados empricas e tericoconceituais, uma anlise sobre a Sade Coletiva no Brasil para compreender o campo a partir de um olhar crtico sobre a cientifizao das reas de conhecimento. Considerando a singularidade de um campo ainda em transformao  que se constituiu em um cenrio poltico particular, onde a Reforma Sanitria Brasileira estava em construo  compreende-se sua conformao enquanto um campo de saberes e prticas militantes, para a construo de novos paradigmas para explicar e intervir na sade do povo brasileiro. Explicitou-se atravs do estudo a brasilidade do campo e sua histria inventiva que hoje apresenta uma grande inovao que o curso de graduao em sade coletiva com a formao de novos sujeitos profissionais para o campo.</font></p><br><b>Palavras-chave: </b>&nbsp;sade coletiva, saberes, prticas</td></tr></table></tr></td></table></body></html>