<HTML><HEAD><TITLE>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</TITLE><link rel=STYLESHEET type=text/css href=css.css></HEAD><BODY aLink=#ff0000 bgColor=#FFFFFF leftMargin=0 link=#000000 text=#000000 topMargin=0 vLink=#000000 marginheight=0 marginwidth=0><table align=center width=700 cellpadding=0 cellspacing=0><tr><td align=left bgcolor=#cccccc valign=top width=550><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=3><font size=1>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</font></font></strong><font face=Verdana size=1><b><br></b></font><font face=Verdana, Arial,Helvetica, sans-serif size=1><strong> </strong></font></font></td><td align=right bgcolor=#cccccc valign=top width=150><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=1><font size=1>Resumo:641-1</font></em></font></strong></font></td></tr><tr><td colspan=2><br><br><table align=center width=700><tr><td><b></b><br><table width="100%"><tr><td width="60">641-1</td><td><b>Gesto Participativa e Educao Permanente como dispositivos para uma Transio Tecnolgica no Processo Produtivo da Gesto da Rede Prpria da SES-BA  Relato de uma experincia.</b></td></tr><tr><td valign=top>Autores:</td><td><u>Joao Andr Santos de Oliveira </u> (FESF-SUS - Fundaao Estatal Sade da Famlia) ; Leandro Dominguez Barretto (FESF-SUS - Fundaao Estatal Sade da Famlia) ; Ana Cristina Oliveira Guimares (SESAB - Secretaria de Sade do Estado da Bahia) </td></tr></table><p align=justify><b><font size=2>Resumo</font></b><p align=justify class=tres><font size=2>Em 2007 iniciou-se uma gesto democrtica e popular no Governo da Bahia, contrapondo-se s diretrizes que predominaram nos ltimos 40 anos neste estado. Na sade, esta mudana gera um estmulo a processos de gesto mais democrticos e participativos na SES-BA, instituio marcada por uma organizao centralizada, vertical e altamente burocratizada. Os trabalhadores apresentavam uma marcada diviso entre os  tcnicos  envolvidos com as aes operacionais  e os  polticos  responsveis pelo processo decisrio. Fundamentada na Teoria da Micropoltica do Trabalho Vivo na Sade, a Diretoria da Rede Hospitalar e Especializada sob Gesto Direta (DIRPGD), decide por um modelo de gesto colegiado orientado para uma transio tecnolgica  do predomnio das tecnologias duras e do trabalho morto, para um predomnio das tecnologias leves e do trabalho vivo em ato  transformando relaes instrumentais no trabalho em relaes dialgicas. Para tanto, aposta na centralidade da Educao Permanente como dispositivo para mudana deste modelo. Os espaos de gesto colegiada, criados com o intuito de ampliar a participao dos trabalhadores, foram transversalizados pela lgica da educao permanente, onde cada momento de deciso ou de operacionalizao de uma agenda transformava-se tambm em momentos de reflexo  a respeito das prticas, teorias e conceitos  sobre as prticas institudas e instituntes, com intencionalidade de transformao, a partir do cotidiano do trabalho na gesto e do saber dos trabalhadores. No decorrer de dois anos, houve adeso dos trabalhadores constituio de equipes de apoio institucional s unidades de sade e considervel grau de satisfao dos mesmos, relacionado ao aprendizado adquirido e s relaes mais horizontais estabelecidas entre os antigos  tcnicos  agora, Apoiadores Institucionais  com a Direo. Observou-se ainda, um aumento do grau de autonomia e de apropriao destes trabalhadores sobre seu objeto do trabalho nesta Diretoria. Esta experincia sugere que potente apostar no encontro dialgico entre trabalhadores e nas reflexes sobre o cotidiano do trabalho, como forma de produzir mudanas, que revelam sujeitos, que produzem mudanas... em um processo vivo, em ato.</font></p><br><b>Palavras-chave: </b>&nbsp;Trabalho vivo, Educao Permanente, Gesto Participativa</td></tr></table></tr></td></table></body></html>