<HTML><HEAD><TITLE>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</TITLE><link rel=STYLESHEET type=text/css href=css.css></HEAD><BODY aLink=#ff0000 bgColor=#FFFFFF leftMargin=0 link=#000000 text=#000000 topMargin=0 vLink=#000000 marginheight=0 marginwidth=0><table align=center width=700 cellpadding=0 cellspacing=0><tr><td align=left bgcolor=#cccccc valign=top width=550><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=3><font size=1>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</font></font></strong><font face=Verdana size=1><b><br></b></font><font face=Verdana, Arial,Helvetica, sans-serif size=1><strong> </strong></font></font></td><td align=right bgcolor=#cccccc valign=top width=150><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=1><font size=1>Resumo:399-2</font></em></font></strong></font></td></tr><tr><td colspan=2><br><br><table align=center width=700><tr><td><b>Poster (Painel)</b><br><table width="100%"><tr><td width="60">399-2</td><td><b>Educao Permanente: o fazer-se contnuo em sade</b></td></tr><tr><td valign=top>Autores:</td><td><u>Ana Cristina Selbach Nozari </u> (GHC - Grupo Hospitalar Conceio) ; Lisandra Alves Nascimento (GHC - Grupo Hospitalar Conceio) </td></tr></table><p align=justify><b><font size=2>Resumo</font></b><p align=justify class=tres><font size=2>A educao permanente, compreendida como um fazer intrnseco s atividades cotidianas, est inserida no processo de trabalho das equipes do GHC e apresenta-se, atravs do desenvolvimento educativo, como um campo de oportunidade para transformaes, uma vez que possibilita aos trabalhadores recriarem seu fazer como ao diria. No ano de 2009 as Oficinas de Valorizao do Fazer Cotidiano, pensadas pela Gesto do Trabalho, Educao e Desenvolvimento e pela Sade do Trabalhador, foram realizadas em diversas equipes do GHC com o objetivo de serem um espao em que as equipes poderiam olhar-se, visualizando suas potencialidades, dificuldades e possibilidades por meio do fazer reflexivo. No entanto, a Oficina realizada em uma das equipes  de enfermagem -proporcionou o ir alm dos objetivos iniciais, demonstrando o engajamento e desejo da equipe em estabelecer propostas concisas de resoluo de conflitos internos e dificuldades externas. A Oficina foi planejada e realizada em cinco encontros, quinzenais, com durao de 1 hora, sendo que por intermdio de instrumentos metodolgicos, como atividades tericas e prticas, vivncias, debates, dinmicas de grupo e outros mtodos de interveno grupal, foi possvel possibilitar que a equipe (re)conhecesse e ampliasse seu processo de interao e comunicao (tanto internamente quanto com os parceiros  servios  prximos). Reconheceu-se durante o processo de discusso e de avaliao das atividades, que o momento vivenciado pela equipe ultrapassava o carter individual para vir a visualizar alternativas coletivas na soluo de questes que se apresentavam em seu cotidiano e que, de fato, puderam ser efetivadas, ao menos em parte. Contudo, a forma de se reconhecerem, a possibilidade de interagirem, de dividirem a sobrecarga, de sinalizarem alternativas coletivas, desenvolveu a equipe, que anteriormente estava desacreditada, desmotivada, que se percebia individualmente enquanto guerreiros, passou a ser (re)construda e ampliada. Salienta-se que os seus integrantes seguem em contnua construo, com novos entendimentos e com propostas de proposies e encaminhamentos coletivos. </font></p><br><b>Palavras-chave: </b>&nbsp;Educao Permanente, Oficinas, Construo Coletiva</td></tr></table></tr></td></table></body></html>