<HTML><HEAD><TITLE>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</TITLE><link rel=STYLESHEET type=text/css href=css.css></HEAD><BODY aLink=#ff0000 bgColor=#FFFFFF leftMargin=0 link=#000000 text=#000000 topMargin=0 vLink=#000000 marginheight=0 marginwidth=0><table align=center width=700 cellpadding=0 cellspacing=0><tr><td align=left bgcolor=#cccccc valign=top width=550><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=3><font size=1>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</font></font></strong><font face=Verdana size=1><b><br></b></font><font face=Verdana, Arial,Helvetica, sans-serif size=1><strong> </strong></font></font></td><td align=right bgcolor=#cccccc valign=top width=150><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=1><font size=1>Resumo:341-1</font></em></font></strong></font></td></tr><tr><td colspan=2><br><br><table align=center width=700><tr><td><b></b><br><table width="100%"><tr><td width="60">341-1</td><td><b>O TRABALHO NUMA UNIDADE INTEGRADA DE SADE DA FAMLIA: DESAFIOS E CONTRADIES</b></td></tr><tr><td valign=top>Autores:</td><td><u>Ana Ruth Barbosa de Sousa </u> (UFPB - Universidade Federal da Paraba) ; Anarita de Souza Salvador (UFPB - Universidade Federal da Paraba) ; Daniel Rangel Curvo (UFPB - Universidade Federal da Paraba) </td></tr></table><p align=justify><b><font size=2>Resumo</font></b><p align=justify class=tres><font size=2>H aproximadamente 4 anos, o municpio de Joo Pessoa vem optando em investir na construo de Unidades Integradas de Sade da Famlia, em substituio ao modelo tradicional de USF  isoladas . Essas Unidades so constitudas por um espao fsico que abrange at quatro Equipes de Sade da Famlia, as quais dispem de consultrios individuais para os profissionais de nvel superior, sendo a maioria dos ambientes de uso comum, como por exemplo, sala de observao, sala de vacina, sala de reunio etc. Durante a insero da Residncia Multiprofissional em Sade da Famlia e Comunidade, oferecida pelo NESC/UFPB, numa dessas USF Integradas, foram percebidos alguns aspectos relevantes reflexo de como esse modelo de integrao interfere no processo de trabalho das equipes. Atravs da observao participante do cotidiano da Unidade e da escuta de profissionais e usurios sobre o tema, identificou-se uma grande vantagem na construo desses prdios, vista na nova estrutura fsica, em detrimento de prdios antigos e com infra-estrutura precria, onde funcionavam as USF anteriormente. Alm disso, foi apontada a facilidade na administrao e financiamento por parte da gerncia municipal e na ampliao da cobertura do PSF. Contudo, algumas implicaes negativas foram explicitadas, principalmente o afastamento da Equipe do territrio adscrito, o que dificulta o vnculo com a comunidade e o acesso dos usurios ao servio, caractersticas que se contrapem aos princpios do SUS. Foi mencionado tambm o fato de que o processo de trabalho torna-se mais difcil de organizar, medida que ocorre a sobrecarga de alguns profissionais que assumem a demanda de outra equipe que no esteja completa, alm da tenso gerada pela falta de integrao pessoal entre os profissionais das diferentes equipes. Outro aspecto negativo a falta de planejamento de espao fsico apropriado para a realizao de aes coletivas, visto que as salas e ptios existentes no projeto das Unidades Integradas no so suficientes para acolher adequadamente nem mesmo o quantitativo total dos profissionais. Enquanto residentes, que partilhamos das dificuldades aqui colocadas, ressaltamos que a opo gerencial de investir nessas Unidades no pode deixar de considerar a garantia plena do acesso a uma sade de qualidade, que vai alm da oferta de uma infra-estrutura inovadora. Acreditamos que so necessrios estudos mais aprofundados sobre tal modelo de integrao para que se possa avaliar sua efetividade. </font></p><br><b>Palavras-chave: </b>&nbsp;sade da famlia, unidade integrada, unidade integrada de sade da famlia</td></tr></table></tr></td></table></body></html>