<HTML><HEAD><TITLE>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</TITLE><link rel=STYLESHEET type=text/css href=css.css></HEAD><BODY aLink=#ff0000 bgColor=#FFFFFF leftMargin=0 link=#000000 text=#000000 topMargin=0 vLink=#000000 marginheight=0 marginwidth=0><table align=center width=700 cellpadding=0 cellspacing=0><tr><td align=left bgcolor=#cccccc valign=top width=550><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=3><font size=1>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</font></font></strong><font face=Verdana size=1><b><br></b></font><font face=Verdana, Arial,Helvetica, sans-serif size=1><strong> </strong></font></font></td><td align=right bgcolor=#cccccc valign=top width=150><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=1><font size=1>Resumo:320-2</font></em></font></strong></font></td></tr><tr><td colspan=2><br><br><table align=center width=700><tr><td><b>Poster (Painel)</b><br><table width="100%"><tr><td width="60">320-2</td><td><b>Sade da Famlia, Educao Permanente e Desenvolvimento: uma anlise de prticas discursivas luz da Abordagem das Capacitaes</b></td></tr><tr><td valign=top>Autores:</td><td><u>Alexandra Jochims Kruel </u> (GHC E UFRGS - GRUPO HOSPITALAR CONCEIO/UIVERSIDADE FEDERAL DO RGS) </td></tr></table><p align=justify><b><font size=2>Resumo</font></b><p align=justify class=tres><font size=2>Com a implantao e reconhecimento da Sade da Famlia/ESF como reestruturadora do modelo de ateno sade e reorganizadora de prticas de trabalho, a educao para trabalhadores e usurios do Sistema nico de Sade/SUS tornou-se palavra-chave. Aliar sade e educao fortalece a sade no apenas como resultado de aes, mas principalmente como ator com grande potencial para articular e mobilizar outros setores, alm de gerar reflexes que levam os cidados a buscar por melhoria de qualidade de vida. Adota-se um discurso vinculado a uma educao significativa  a educao permanente em sade/EPS  cuja inteno modificar as representaes do processo sade-doena, para que trabalhadores e demais cidados saibam o que precisam para melhorar suas condies de vida e as de suas comunidades, conheam seus direitos e exeram efetivo controle social. Em suma, ser agentes de desenvolvimento. Por outro lado, de forma mais ampla, possvel pensar desenvolvimento sob trs concepes distintas: como ideal a ser alcanado, como processo histrico transformador da realidade social e como ao de agncias: instituies para o desenvolvimento, governos, organizaes no governamentais, etc. Neste trabalho compreende-se o desenvolvimento a partir do imbricamento das trs concepes, e reflete-se sobre as prticas discursivas da ESF, como potencializadoras de processos de desenvolvimento, principalmente a partir de nfase em educao de trabalhadores e usurios do sistema. A reflexo apia-se na Abordagem das Capacitaes de Amartya Sen, em que o desenvolvimento constitudo pela eliminao de privaes de liberdades substanciais que limitam escolhas e oportunidades das pessoas em exercer sua condio de agente, ou ainda, como um processo de expanso de liberdades reais. Ela embasa-se nos conceitos de funcionamentos, capacidades humanas, bem estar, agncia e liberdades, e permite o reconhecimento e apreciao dos papis das instituies, valores, costumes e normas sociais. O artigo se estrutura em sees: a primeira traz um panorama sobre o SUS e a ESF, suas propostas, caractersticas, atividades e atores. A segunda apresenta a Abordagem das Capacitaes. Na terceira, reflete-se sobre as prticas discursivas da ESF e Abordagem das Capacitaes, pois so propostas que se aproximam, ao defenderem a preparao das pessoas para a busca por melhoria em suas condies de vida, tendo-se na EPS um meio para seu alcance. </font></p><br><b>Palavras-chave: </b>&nbsp;EDUCAO E SADE, DESENVOLVIMENTO, ABORDAGEM DAS CAPACITAES</td></tr></table></tr></td></table></body></html>