<HTML><HEAD><TITLE>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</TITLE><link rel=STYLESHEET type=text/css href=css.css></HEAD><BODY aLink=#ff0000 bgColor=#FFFFFF leftMargin=0 link=#000000 text=#000000 topMargin=0 vLink=#000000 marginheight=0 marginwidth=0><table align=center width=700 cellpadding=0 cellspacing=0><tr><td align=left bgcolor=#cccccc valign=top width=550><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=3><font size=1>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</font></font></strong><font face=Verdana size=1><b><br></b></font><font face=Verdana, Arial,Helvetica, sans-serif size=1><strong> </strong></font></font></td><td align=right bgcolor=#cccccc valign=top width=150><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=1><font size=1>Resumo:275-1</font></em></font></strong></font></td></tr><tr><td colspan=2><br><br><table align=center width=700><tr><td><b></b><br><table width="100%"><tr><td width="60">275-1</td><td><b>VER-SUS/GHC: 15 dias de reflexo, trocas, aprendizado, convivncia e amizade entre estudantes de diversos cursos de graduao da sade.</b></td></tr><tr><td valign=top>Autores:</td><td><u>Leandro Ravel de Freitas Ventura </u> (UFRGS - Universidade Federal do Rio Grande do Sul) ; Aline Triches Dani (GHC - Grupo Hospitalar Conceio) </td></tr></table><p align=justify><b><font size=2>Resumo</font></b><p align=justify class=tres><font size=2>Uma das percepes enriquecedoras no VER-SUS/GHC 2009, foram os momentos vividos nos estabelecimentos de sade. Onde acompanhamos em pequenos grupos a rotina dos profissionais da sade e conversamos com alguns usurios dos servios de sade. Pude acompanhar em trs oportunidades inesperadas o atendimento de uma senhora do interior do estado do Rio Grande do Sul. Conversei com o seu esposo que denominarei de senhor B. Na primeira conversa com ele, o mdico que estava tratando da sua esposa, ia esclarec-lo sobre todos os procedimentos da operao. Lembro de ter perguntado se gostaria que fosse feita alguma alterao quanto ao seu atendimento e ele respondeu que tinha sido bem atendido. Na segunda conversa com o senhor B, ele confirmou o sucesso da operao e a boa recuperao da sua esposa no leito hospitalar. E finalmente na terceira conversa, trs dias depois, a alegria do mesmo pela alta da sua esposa e o regresso para sua cidade. Seriam necessrias muitas linhas para tantos relatos e impresses perpassadas em 15 dias de vivncia. A vivncia o diferencial do VER-SUS, pois parte de uma cartografia, isto , o indivduo inserido na experincia-vivncia para s depois, partindo da tica de dentro da experincia, construir o caminho a ser desenvolvido pelo grupo. Os acadmicos que participaram da vivncia trocaram experincias interdisciplinarmente, pois eram vrias as reas da sade envolvidas. Isso trouxe uma riqueza de vises e percepes para o grupo que s contribuiu para o aprendizado em conjunto. Um dos objetivos do VER-SUS estimular a troca de conhecimento entre os acadmicos envolvidos na vivncia em relao a sua profisso e as outras profisses da rea da sade. Conhecer o SUS em funcionamento e as relaes dos profissionais envolvidos nele uma marca do VER-SUS. Essa idia funde prtica com teoria na medida certa. Por isso o VER-SUS torna-se inovador, pois agrupa indivduos de vrias reas da sade em experincias em grupo. H uma troca intensa de percepes, idias, sugestes que indivduos criam em contato com as experincias e o grupo VER-SUS as socializa. Os conceitos e as disciplinas do meu curso de Psicologia tornaram-se mais instigantes, pois nas rodas de discusso, as experincias por mim relatadas, contriburam para o aprendizado da minha turma do 2 semestre. Particularmente as experincias da vivncia no VER-SUS/GHC, trouxeram-me uma viso mais holstica da  Sade e principalmente de como possvel  Produzir Sade .</font></p><br><b>Palavras-chave: </b>&nbsp;VER-SUS/GHC, Experincias Interdisciplinares, Formao para a Sade</td></tr></table></tr></td></table></body></html>