<HTML><HEAD><TITLE>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</TITLE><link rel=STYLESHEET type=text/css href=css.css></HEAD><BODY aLink=#ff0000 bgColor=#FFFFFF leftMargin=0 link=#000000 text=#000000 topMargin=0 vLink=#000000 marginheight=0 marginwidth=0><table align=center width=700 cellpadding=0 cellspacing=0><tr><td align=left bgcolor=#cccccc valign=top width=550><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=3><font size=1>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</font></font></strong><font face=Verdana size=1><b><br></b></font><font face=Verdana, Arial,Helvetica, sans-serif size=1><strong> </strong></font></font></td><td align=right bgcolor=#cccccc valign=top width=150><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=1><font size=1>Resumo:207-1</font></em></font></strong></font></td></tr><tr><td colspan=2><br><br><table align=center width=700><tr><td><b>Poster (Painel)</b><br><table width="100%"><tr><td width="60">207-1</td><td><b>SADE E EDUCAO UNIDAS PARA PROMOVER SADE NA COMUNIDADE DE UMA ESCOLA MUNICIPAL DE EDUCAO INFANTIL DE PORTO-RS</b></td></tr><tr><td valign=top>Autores:</td><td><u>Simone Hess </u> (UCS - Universidade de Caxias do Sul) ; Luiz Fernando Silva Bilibio (UCS - Universidade de Caxias do Sul) </td></tr></table><p align=justify><b><font size=2>Resumo</font></b><p align=justify class=tres><font size=2>Escolas podem caracterizar-se por um espao onde a sade de todos os membros de sua comunidade, sejam professores, funcionrios e familiares, alm dos prprios estudantes, pode ser promovida. Atravs do curso de especializao  Gesto Participativa Polticas Pblicas de Sade , cada aluno elaborou um Projeto de Interveno dentro da proposta pedaggica dessa ps-graduao, a qual originou um conjunto de intervenes. O objetivo do projeto presente foi promover sade e hbitos de vida saudveis atravs da integrao da sade e da educao em uma escola municipal de educao infantil da cidade de Porto-RS. Isso ocorreu com encontros da comunidade escolar com profissionais de sade e rodas de conversas frequentes para discutir necessidades relativas sade e preveno de doenas. Tambm, dentro dessa proposta, realizaram-se trabalhos educativos e ldicos dentro da sala de aula com as crianas. As merendeiras da escola tambm participaram do processo em funo de sua importante interao com os alunos. Alm do mais, estabeleceu-se um sistema de referncia para atendimentos de casos, procurando sempre fazer alianas entre a escola, a famlia e o setor pblico, visto que a funo das escolas no se limita aos aspectos preventivos. Conseguiram-se muitas melhorias em preveno de doenas e maior conscientizao com as aes executadas. Observa-se que, apesar das tentativas de alguns profissionais da sade, existe grande dificuldade em reverter o modelo atual de assistncia, modelo curativista individualizado, para uma proposta de trabalho em que as aes e atividades esto voltadas para o sujeito e o contexto em que ele est inserido. Desta forma, a assistncia fica centrada no atendimento demanda espontnea e torna-se difcil construir uma aproximao individual e coletiva entre profissionais e usurios, que permita aos primeiros identificar as reais necessidades daqueles que os procuram. Alm do mais, esse trabalho para ser melhorado, apenas ser possvel quando dentro da prpria escola acontecer interaes setoriais, ampliando os limites convencionais do setor educao, atingindo o maior nmero possvel de setores sociais.</font></p><br><b>Palavras-chave: </b>&nbsp;educao, escola, sade</td></tr></table></tr></td></table></body></html>