<HTML><HEAD><TITLE>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</TITLE><link rel=STYLESHEET type=text/css href=css.css></HEAD><BODY aLink=#ff0000 bgColor=#FFFFFF leftMargin=0 link=#000000 text=#000000 topMargin=0 vLink=#000000 marginheight=0 marginwidth=0><table align=center width=700 cellpadding=0 cellspacing=0><tr><td align=left bgcolor=#cccccc valign=top width=550><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=3><font size=1>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</font></font></strong><font face=Verdana size=1><b><br></b></font><font face=Verdana, Arial,Helvetica, sans-serif size=1><strong> </strong></font></font></td><td align=right bgcolor=#cccccc valign=top width=150><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=1><font size=1>Resumo:205-1</font></em></font></strong></font></td></tr><tr><td colspan=2><br><br><table align=center width=700><tr><td><b></b><br><table width="100%"><tr><td width="60">205-1</td><td><b>A importncia do trabalho dos Agentes Comunitrios de Sade no mbito da proposta de gesto participativa.</b></td></tr><tr><td valign=top>Autores:</td><td><u>Larissa Beatriz Scholz de Bortoli </u> (UCS - Universdade de Caxias do Sul) ; Mar ngela Stallivieri Pistorello (UCS - Universdade de Caxias do Sul) ; Marcia Adami (UCS - Universdade de Caxias do SulUCS - Universdade de Caxias do Sul) ; Angela Adelaide Lucena (UCS - Universdade de Caxias do SulUCS - Universdade de Caxias do Sul) ; Andrea Marchetto Guerra (UCS - Universdade de Caxias do Sul) </td></tr></table><p align=justify><b><font size=2>Resumo</font></b><p align=justify class=tres><font size=2>Este estudo prope uma reflexo sobre a percepo que as agentes comunitrias de sade (ACS), do municpio de Picada Caf tm de seu fazer profissional enquanto trabalhadoras do Sistema nico de Sade e ainda analisar como essas profissionais so percebidas pelos co-gestores desta poltica. Tal estudo se deu entre os meses de julho de 2009 e fevereiro de 2010. Cientes de que o ACS causa impacto na vida da populao usuria, o intuito de mensurar este impacto e analisar de que forma esses profissionais se apropriam das propostas de gesto participativa e como agem nesse processo no seu cotidiano nas comunidades onde trabalham. Como membros da equipe de Estratgia da Sade da Famlia (ESF), cobertos de muita garra e valorizando a famlia e a comunidade onde se inserem, as ACS estimulam a populao usuria na participao da promoo da sade e na preveno de doenas. Como ponto de partida para a elaborao desse trabalho foi realizada uma apresentao da proposta ao gestor, aos profissionais da ESF e ainda entrevistas com todas as ACS da cidade acima referida. A metodologia aplicada visou a aplicao de questionrios, com 11 questes sem necessidade de identificao, proporcionando assim uma melhor aceitao e transparncia nas respostas apresentadas. A totalidade do territrio coberta pela ESF, o que garante populao mais que assistncia mdica. Garante preveno da sade, atravs do trabalho direto e constante das ACS. A partir dos dados levantados, fica claro que, os atores envolvidos, cada um em uma  ponta (gestores e ACS) tornam a dinmica do sistema a mais eficaz e resoluta possvel, no momento em que h um dilogo direto entre estas partes sem interlocutores ou intermedirios. Os demais profissionais que formam a equipe da ESF dividem a responsabilidade do trabalho com as ACS, quando verbalizam que reconhecem a importncia da interveno destes profissionais. Como principal resultado dessa anlise pode-se perceber que as pessoas entrevistadas valorizam a sua profisso e sentem-se partcipes na construo de um sistema de sade que rompe com os modelos vigentes. </font></p><br><b>Palavras-chave: </b>&nbsp;Gesto, Participao, Sade</td></tr></table></tr></td></table></body></html>