<HTML><HEAD><TITLE>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</TITLE><link rel=STYLESHEET type=text/css href=css.css></HEAD><BODY aLink=#ff0000 bgColor=#FFFFFF leftMargin=0 link=#000000 text=#000000 topMargin=0 vLink=#000000 marginheight=0 marginwidth=0><table align=center width=700 cellpadding=0 cellspacing=0><tr><td align=left bgcolor=#cccccc valign=top width=550><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=3><font size=1>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</font></font></strong><font face=Verdana size=1><b><br></b></font><font face=Verdana, Arial,Helvetica, sans-serif size=1><strong> </strong></font></font></td><td align=right bgcolor=#cccccc valign=top width=150><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=1><font size=1>Resumo:191-1</font></em></font></strong></font></td></tr><tr><td colspan=2><br><br><table align=center width=700><tr><td><b>Poster (Painel)</b><br><table width="100%"><tr><td width="60">191-1</td><td><b>UMA CONSTRUO COLETIVA DE (RE)SSIGNIFICAO DE PRTICAS E SABERES DO ACOLHIMENTO DO HOSPITAL NOSSA SENHORA DA CONCEIO </b></td></tr><tr><td valign=top>Autores:</td><td><u>Maristela Vargas Losekann </u> (HNSC - Hospital Nossa Senhora da Conceio) </td></tr></table><p align=justify><b><font size=2>Resumo</font></b><p align=justify class=tres><font size=2>Esse trabalho iniciou em 2008 com a construo do cenrio, um relato do cotidiano de trabalho e da insero da Emergncia Adulto do Hospital Nossa Senhora da Conceio na rede do SUS. Percebi ento, atravs das falas dos trabalhadores e usurios, a necessidade de trabalhar o dispositivo Acolhimento, e reafirm-lo como uma das diretrizes de maior relevncia da Poltica Nacional de Humanizao do SUS. O Acolhimento, implantado neste servio em 2004, foi aos poucos perdendo a continuidade nas aes, as avaliaes deixaram de ser constantes e houve, progressivamente, um processo de fragmentao do trabalho, tornando-se um lugar com grandes dificuldades relacionais. A atual rea da emergncia teve seus ambientes projetados levando em considerao o dispositivo da Ambincia do Ministrio da Sade. No entanto, isoladamente a ambincia no promove melhorias, precisa ocorrer concomitantemente, uma mudana de postura dos profissionais em relao ao tipo de ateno que deseja prestar e de como v a sua insero no SUS, ou seja, repensar os processos de trabalho. A valorizao dos diferentes sujeitos envolvidos no processo de produo de sade, considerada como base da humanizao, nos desafia e convoca a fazer parte da consolidao do SUS nos tornando multiplicadores. Dessa forma, visando produo de mudanas nas prticas, propus a (Re)ssignificao do Acolhimento da Emergncia do HNSC, utilizando a construo da rede como espao de educao profissional, sendo a Educao Permanente em Sade ferramenta norteadora para repensar as prticas e saberes institudos, colocando as experincias e a criatividade do trabalhador como alternativa para promover mudanas. Sendo assim, uma tentativa de reorganizao dos processos de trabalho vigentes, buscando em encontros semanais com a equipe o Acolhimento que queremos, atravs das trocas de vivncias e do compartilhamento dos aprendizados, desencadeando e reforando a qualificao e buscando fortalecer os coletivos. Portanto, esse trabalho uma construo coletiva, um lugar onde grupos humanos se mobilizam para produzir, encontros que buscam o novo, espaos em que nos reinventamos sem cessar com dificuldades, sucessos, fracassos, conquistas, enfim, um trabalho que comea, mobilizando afetos, usurios, trabalhadores e gestores, parceiros de uma rede que no termina no acolhimento, mas que se amplia atravs dele. </font></p><br><b>Palavras-chave: </b>&nbsp;poltica nacional de humanizao, educao permanente em sade, acolhimento</td></tr></table></tr></td></table></body></html>