<HTML><HEAD><TITLE>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</TITLE><link rel=STYLESHEET type=text/css href=css.css></HEAD><BODY aLink=#ff0000 bgColor=#FFFFFF leftMargin=0 link=#000000 text=#000000 topMargin=0 vLink=#000000 marginheight=0 marginwidth=0><table align=center width=700 cellpadding=0 cellspacing=0><tr><td align=left bgcolor=#cccccc valign=top width=550><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=3><font size=1>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</font></font></strong><font face=Verdana size=1><b><br></b></font><font face=Verdana, Arial,Helvetica, sans-serif size=1><strong> </strong></font></font></td><td align=right bgcolor=#cccccc valign=top width=150><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=1><font size=1>Resumo:44-3</font></em></font></strong></font></td></tr><tr><td colspan=2><br><br><table align=center width=700><tr><td><b>Poster (Painel)</b><br><table width="100%"><tr><td width="60">44-3</td><td><b>ESTUDO DE CASO - DO INDIVIDUAL PARA O FAMILIAR E DE UM DETERMINADO PROFISSIONAL PARA A EQUIPE</b></td></tr><tr><td valign=top>Autores:</td><td><u>Flavia Schrder Darski </u> (ESP/RS - Escola de Sade Pblica) ; Zilah Ribeiro (ESP/RS - Escola de Sade Pblica) ; Monica Hermann (ESP/RS - Escola de Sade Pblica) ; Tnia Maria Nunes Barbosa dos Santos (ESP/RS - Escola de Sade Pblica) </td></tr></table><p align=justify><b><font size=2>Resumo</font></b><p align=justify class=tres><font size=2> O presente trabalho diz de um Estudo de Caso e relata uma interveno realizada por residentes (psicloga, nutricionista, cirurgi dentista e fisioterapeuta) da Escola de Sade Pblica/RS com nfase em Ateno Bsica e Sade Coletiva. O estudo de caso em questo foi de uma famlia. Idias foram priorizadas: o SUS enquanto obra aberta; inseparabilidade de sofrimento fsico e mental; que as condies ambientais, sociais e mentais se inter - relacionam; que a equipe deve captar as estruturas das famlias com as quais trabalha e, a partir da, romper estas e gerar outras mais solidrias, saudveis, ou seja, no existem  famlias desestruturadas . O Estudo de Caso foi apresentado para o restante dos colegas residentes e a metodologia de apresentao gerou efeitos significativos. No incio apresentamos genograma, fotos e contextualizao. A interveno baseou-se em diversas idas at a casa da famlia. A equipe era de profissionais de sade, a escuta, apoio e criao de vnculo no dependeu da profisso e sim da abertura de cada um, da capacidade de afetar e deixar-se afetar, pela capacidade de realizar escuta sensvel, ou seja, usufruir das tecnologias leves no ato de produo de sade. No comeo da residncia uma integrante da famlia em questo foi encaminhada para a psicloga, pois j estava h anos em acompanhamento psicolgico na UBS, mas uma leitura de demanda se mostrou necessria. Os princpios que orientavam esta nova equipe eram outros, incluindo o princpio de trabalho em equipe e tambm no com um membro da famlia e sim com a famlia. Assim comeou a leitura da estruturao familiar da menina que,  por ser muito calada , estava anos passando de psiclogo para psiclogo. Aps um tempo, diferentes integrantes desta famlia comearam a buscar a Unidade de Sade, sendo para dentista, mdico, vacinas, nutricionista, fisioterapeuta, psicloga. A conduo ampliada do caso possibilitou movimentos e o cuidado oferecido gerou cuidado entre os familiares. Para apresentao em aula foi usada a ferramenta do Fluxograma Descritor em papel pardo, que atravessou a sala, explicitando os anos de acompanhamento psicolgico para a  menina calada , interrupes sem justificativa, at o incio e os efeitos deste outro trabalho. Os colegas, em p, refletiram sobre cristalizaes diversas dos fazeres clnicos. A equipe apostou nesse fazer diferenciado, tanto nas intervenes como na apresentao. </font></p><br><b>Palavras-chave: </b>&nbsp;Equipe de Sade, Estudo de Caso, Interveno Familiar</td></tr></table></tr></td></table></body></html>