<HTML><HEAD><TITLE>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</TITLE><link rel=STYLESHEET type=text/css href=css.css></HEAD><BODY aLink=#ff0000 bgColor=#FFFFFF leftMargin=0 link=#000000 text=#000000 topMargin=0 vLink=#000000 marginheight=0 marginwidth=0><table align=center width=700 cellpadding=0 cellspacing=0><tr><td align=left bgcolor=#cccccc valign=top width=550><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=3><font size=1>9 Congresso Nacional da Rede Unida 2010</font></font></strong><font face=Verdana size=1><b><br></b></font><font face=Verdana, Arial,Helvetica, sans-serif size=1><strong> </strong></font></font></td><td align=right bgcolor=#cccccc valign=top width=150><font face=arial size=2><strong><font face=Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif size=1><font size=1>Resumo:17-3</font></em></font></strong></font></td></tr><tr><td colspan=2><br><br><table align=center width=700><tr><td><b>Poster (Painel)</b><br><table width="100%"><tr><td width="60">17-3</td><td><b>INTERFACE ENTRE A PSICOLOGIA ESCOLAR E O ENSINO SUPERIOR </b></td></tr><tr><td valign=top>Autores:</td><td><u>Gabriela da Cunha Gomes </u> (UNIFOR - UNIVERSIDADE DE FORTALEZAUNIFOR - UNIVERSIDADE DE FORTALEZAUNIFOR - UNIVERSIDADE DE FORTALEZAUNIFOR - UNIVERSIDADE DE FORTALEZA) ; Simone Trindade da Cunha (UNIFOR - UNIVERSIDADE DE FORTALEZAUNIFOR - UNIVERSIDADE DE FORTALEZAUNIFOR - UNIVERSIDADE DE FORTALEZAUNIFOR - UNIVERSIDADE DE FORTALEZA) ; Felipe Tefilo Ponte (UNIFOR - UNIVERSIDADE DE FORTALEZAUNIFOR - UNIVERSIDADE DE FORTALEZAUNIFOR - UNIVERSIDADE DE FORTALEZAUNIFOR - UNIVERSIDADE DE FORTALEZA) ; Ana Maria Fontenelle Catrib (UNIFOR - UNIVERSIDADE DE FORTALEZAUNIFOR - UNIVERSIDADE DE FORTALEZAUNIFOR - UNIVERSIDADE DE FORTALEZAUNIFOR - UNIVERSIDADE DE FORTALEZA) ; Maxmiria Holanda Batista (UNIFOR - UNIVERSIDADE DE FORTALEZAUNIFOR - UNIVERSIDADE DE FORTALEZAUNIFOR - UNIVERSIDADE DE FORTALEZAUNIFOR - UNIVERSIDADE DE FORTALEZA) ; Virgnia Costa Lima Verde Leal (UNIFOR - UNIVERSIDADE DE FORTALEZAUNIFOR - UNIVERSIDADE DE FORTALEZAUNIFOR - UNIVERSIDADE DE FORTALEZAUNIFOR - UNIVERSIDADE DE FORTALEZA) ; Thiara Martins Gondim (UNIFOR - UNIVERSIDADE DE FORTALEZAUNIFOR - UNIVERSIDADE DE FORTALEZAUNIFOR - UNIVERSIDADE DE FORTALEZAUNIFOR - UNIVERSIDADE DE FORTALEZA) ; Amanda Barbosa Rodrigues (UNIFOR - UNIVERSIDADE DE FORTALEZAUNIFOR - UNIVERSIDADE DE FORTALEZAUNIFOR - UNIVERSIDADE DE FORTALEZAUNIFOR - UNIVERSIDADE DE FORTALEZA) </td></tr></table><p align=justify><b><font size=2>Resumo</font></b><p align=justify class=tres><font size=2>O presente artigo versa acerca da psicologia escolar e sua interface com as instituies educacionais de ensino superior. Para tanto, realizou-se uma pesquisa bibliogrfica acerca do tema bem como entrevistas dois ncleos psicopedaggicos de duas instituies privadas na cidade de Fortaleza-CE. As instituies de ensino superior tm crescido consideravelmente no Brasil e as vicissitudes da especulao capitalista so um dos principais fatores geradores dessa procura pela obteno de saberes. A procura por uma formao em uma universidade desperta uma srie de questionamentos que tem como um dos fatores principais a questo neoliberalista. Enquanto o ensino particular abre as portas para a populao, as instituies pblicas so cenrios de descaso, assim, percebe-se que, pensar acerca do que realmente ocorre com o ensino superior no Brasil tornou-se algo de interesse social. A partir desta perspectiva, o psiclogo escolar deve estar capacitado a vislumbrar novas formas de atuao em que este possa privilegiar o processo de aprendizagem de forma ampla, estimulando medidas de parcerias com a instituio e promovendo a sade mental. O profissional de psicologia, uma vez integrado universidade como um todo, deve buscar estratgias que visem ao desenvolvimento individual e profissional dos sujeitos, sejam eles professores ou alunos. relevante se refletir que o psiclogo escolar inserido na universidade tem uma gama de possibilidades de atuao, haja vista que ele ir se deparar com questes subjetivas e emocionais que perpassam e provocam modificaes no sujeito que est no ambiente educativo. Diferentemente do ambiente educativo escolar, as questes trabalhadas no ensino superior abrangem o sujeito que est em processo de ruptura com um sistema de ensino engessado em que o singular no valorizado. Concluiu-se que o psiclogo escolar no deve estar preso s aos problemas que emergem na universidade, mas sim, ao estabelecimento de relaes saudveis; ao estmulo de mudanas que beneficiem a todos; preveno de situaes conflitantes bem como desenvolver um olhar e uma escuta clnicos que permitam alcanar a subjetividade de cada pessoa.</font></p><br><b>Palavras-chave: </b>&nbsp;Educao, Ensino Superior, Psicologia Escolar</td></tr></table></tr></td></table></body></html>